Bem-estar animal na produção bovina
BLOGCuriosidades do AgroNoticias - Blog

Bem-estar animal na produção bovina

O bem-estar animal é um dos principais temas da produção animal moderna. Entender as necessidades dos animais é fundamental para que eles tenham uma boa qualidade de vida.

Os animais possuem sentimentos, como medo e felicidade e suas emoções têm uma grande influência na produção.

Portanto, assim como os seres humanos, os animais têm necessidades que vão além das fisiológicas.

A necessidade de bem-estar animal, está em garantir situações básicas, como:

  • Possuir espaço suficiente para expressar os comportamentos naturais da espécie.
  • Estar livre de fome e sede, com acesso a água e alimento suficientes, para manter a saúde e a vitalidade.
  • Estar livre de desconforto ambiental.
  • Ausente de estresse e medo, com manejo adequado para a espécie.
  • Estar sem dor, doença e lesão, por meio de prevenção, diagnóstico rápido e tratamento adequado.

Bovinos gostam de rotina e possuem boa memória, são capazes de discriminar as pessoas envolvidas nas interações, apresentando reações específicas a cada uma delas em função a experiência vivida.

A presença de pessoas conhecidas, com comportamento não aversivo, contribui para diminuir os efeitos negativos no comportamento e na produção. 

O manejo aversivo altera o comportamento e prejudica o bem-estar animal, resultando na redução da produção.

Quando não observados, esses itens refletem imediatamente na produção, reprodução e sanidade. 

O confinamento por exemplo, ocasiona grandes mudanças de ambiente, maior exposição a condições climáticas, mudança do padrão de dieta, redução do espaço, transporte do confinamento aos frigoríficos, etc.

Por isso precisamos entender melhor as mudanças e buscar ações que minimizem o estresse gerado por elas, para assim prover o bem-estar animal.

Assim melhoramos os ganhos e, consequentemente, o lucro da operação. 

 

4 boas práticas de bem-estar animal para você implementar

1. Mantenha o status sanitário

Mantenha os animais saudáveis, com a vacinação em dia e tratados assim que ficam doentes, mesmo que isolados dos plantéis e rebanho.

Controle de zoonoses e limpeza da propriedade são imprescindíveis. 

2. Invista em boas instalações

Para que os animais possam usufruir de sua liberdade, é fundamental que eles sejam alocados em ambientes com temperatura e umidade ideais (levando em consideração a idade).

Além de espaço suficiente para locomoção o local deve prover conforto ao animal, com cochos e bebedouros de tamanho correto, ventilação que permitam uma boa vazão de ar ou chão que não danifique os cascos.

3. Garanta nutrição de qualidade

Ofereça uma dieta balanceada. A nutrição de qualidade reflete diretamente no sucesso do sistema de produção.

Quanto melhor o alimento, melhor a digestibilidade e consequentemente maior a eficiência alimentar. Uma boa alimentação garante mais vigor,  saúde e produção dos animais.

4. Capacite sua equipe

Invista na formação dos funcionários, elas devem conhecer as particularidades das espécies.

Saber as boas práticas de manejo, agir com rapidez e eficiência frente a qualquer eventualidade garantem o bem-estar animal em diversas situações.

 

A bovinocultura é um dos principais destaques do agronegócio brasileiro no cenário mundial. O Brasil possui um dos maiores rebanhos bovinos do mundo.

Localizado na Zona Intertropical, com climas quentes e úmidos, temos que estar atentos a estressores ambientais, que podem afetar o desempenho, a saúde e o bem-estar animal.

Sabemos que o ambiente térmico influencia o desempenho animal, principalmente através dos efeitos das trocas energéticas entre o animal e as superfícies dele circundantes.

 

Os valores de limite de conforto térmico e os associados à queda no desempenho são valiosos para a seleção, projeto e operação racional das instalações zootécnicas.

As tecnologias e práticas de bem-estar animal destinadas a reduzir o estresse térmico resultante do ambiente são amplas.

Portanto comece fornecendo acesso a sombras, atitudes simples como essa criam oportunidades adequadas de termorregulação comportamental.

Entenda os efeitos do estresse nos animais do ponto de vista produtivo:

  • Redução do ganho de peso
  • Baixo desempenho reprodutivo
  • Redução da resistência a doenças
  • Menor qualidade da carne

Currais de manejo baseados nos princípios de comportamento animal resultam em um trabalho muito mais seguro, eficiente, fácil e menos estressante para os animais e para as pessoas envolvidas.

Resumindo o nível de estresse de um animal ao ser manejado depende de três fatores: genética, diferenças individuais e experiências prévias.

Tenha em mente não somente o benefício financeiro alcançado com a adoção de práticas adequadas ao bem-estar animal, mas também o respeito aos animais.

Continue acompanhando o Blog Premix e mantenha-se atualizado!

Qual é a sua reação?

Animado
0
Feliz
0
Apaixonado
0
Não tenho certeza
0
Bobo
0

Você pode gostar

Mais em:BLOG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *