Como a tecnologia pode trazer mais produtividade na pecuária

Autor: Premix | Data: 29-08-2019

Tags: , ,

Não é de hoje que a pecuária vem adotando novas tecnologias para incrementar a produtividade e os ganhos na produção, não é mesmo?

Seja em pequenas propriedades leiteiras – através de equipamentos modernos de ordenha das vacas, seja em confinamentos de gado de corte – com o uso de softwares de gestão capazes de calcular com exatidão a quantidade e fórmula das rações oferecidas no cocho, a tecnologia está presente.

Adotar ou não o seu uso dentro da propriedade será cada vez mais impositivo para o pecuarista, pois se a princípio as novas ferramentas possam parecer inacessíveis, ao mesmo tempo, cada vez mais o mercado vai exigir esse tipo de profissionalização dos criadores de gado!

VEJA TAMBÉM:  Iniciativas fáceis que garantem a produtividade do seu gado

Por isso, listamos aqui algumas dessas tecnologias que já estão disponíveis a qualquer perfil de criador e que, com baixo custo investido, são capazes de otimizar os resultados dentro da fazenda.

Veja, então, como a tecnologia pode trazer mais produtividade na pecuária

Softwares para a pecuária

Não dá pra pensar em ganho de produtividade sem medir resultados. Se você não mede, você não gerencia!

Esta máxima é verdadeira: se o pecuarista não controlar exatamente os custos e ganhos da sua atividade, irá sempre apostar no escuro, sem base concreta para a tomada de decisões.

E não adianta acreditar que o que funcionava anos atrás vai continuar funcionando hoje. Os tempos são outros, novos mercados, novas realidades, novo consumidor e novas exigências do produtor rural.

ENTENDA: o que a pecuária pode esperar do Acordo entre Mercosul e UE

Sabemos que a maioria dos pecuaristas têm o seu controle, anotados em cadernos, dados como o histórico de vacinas, nascimento de bezerros, perda de animais e valor das vendas, mas será que essas informações soltas ajudam-no na hora de tomar decisões no dia a dia?

Essa é a proposta dos novos softwares de gestão na pecuária, como os aplicativos Confina + Premix e o Reprodez.

O conceito deles é unir os dados que os fazendeiros já costumam ter anotados em papel e levar tudo para uma plataforma capaz de organizar, comparar e criar um histórico de dados, ajudando o produtor a tomar decisões em cima de dados concretos.

Veja alguns dos benefícios desses programas:

  • Identificação individual dos animais
  • Controle de pesagens
  • Histórico de medicamentos
  • Controle financeiro
  • Estoque de medicamentos, insumos, suplementos, etc
  • Registro de compra e venda da boiada
  • Índices Produtivos

Leitor de proteína

A Premix é a única empresa que detém essa ferramenta tecnológica, que é capaz de medir o valor proteico-nutricional dos pastos, o que torna possível a correção em tempo real na suplementação do gado.

Assim, o pecuarista ganha tempo e dinheiro no arranjo do projeto de suplementação para os bovinos a pasto.

NIR

O analisador de alimentos NIR é a uma ferramenta capaz de determinar em alguns poucos segundos os níveis de proteína, umidade, gordura e fibra, entre outros parâmetros, em amostras de alimentos. Aplicado para a pecuária, ele se torna essencial para avaliar os índices nutricionais de cada dieta oferecida ao gado.

Imagine em um sistema de confinamento no qual o boi tem uma exigência nutricional para ganhar peso naquele espaço de tempo. Sem o correto acompanhamento o proprietário pode ter uma má surpresa se, ao final do período, os animais não atingirem o peso previsto.

Isso pode acontecer principalmente se a dieta estiver fora dos padrões. Daí a importância do NIR em ajustar e acompanhar se o valor energético e o proteico da dieta estão mesmos corretos.

Imagens de satélite

O uso do GPS na agricultura não é coisa nova e talvez tenha sido essa a tecnologia que motivou pecuaristas a adotarem também ferramentas na produção de carne no país.

A maior vantagem percebida com o uso de imagens de satélite é detectar com exatidão o estoque de forragem superavitária ou deficitária dentro da propriedade. Imagine poder otimizar o uso de adubo para a correção do solo, aplicando corretamente, sem exageros e desperdícios, economizando dinheiro e tempo?

Além disso, com imagens de satélite também é possível programar a rotação de pastagem, baseada em dados reais, uma vez que o proprietário será capaz de planejar o uso adequado à disponibilidade de capim por área.

Veja outras vantagens:

  • Automatização da coleta de dados
  • 0% de erro na coleta e transmissão de dados
  • Redução do tempo de trabalho e acidentes de trabalho
  • Menor contato com os animais
  • Diminuição de estresse
  • Redução das contusões dos animais nas diferentes fases de manejo

Câmeras térmicas

Elas não são nenhuma novidade: já são empregadas militarmente há muitos anos, contudo, o uso na pecuária ainda é pouco disseminado.

Com a utilização dessas ferramentas é possível detectar os primeiros sinais de uma possível enfermidade no gado, mesmo antes dos animais apresentarem os sinais iniciais de doenças no rebanho.

Outro benefício é planejar adequadamente a estrutura dos piquetes de confinamento.

APRENDA TAMBÉM qual o número ideal de animais nos piquetes de confinamento

Existem experiências com as câmeras térmicas que sinalizam os pontos de maior conforto térmico dentro dos piquetes, o que possibilita a maior produtividade do boi, pois os animais que se deitam para descansar tendem a ter um maior ganho de peso.

Câmera para pesar o gado

Lembra a “mão de obra” que dava para juntar o gado para pesar na fazenda? Pois bem, os tempos são outros.

Agora é possível colocar animais em fila, deixá-los passar na frente de uma câmera e pronto! O programa já faz a projeção das medidas do gado, cruzando as informações em um banco de dados com milhares de referência.

Para quem ainda não adotou esse tipo de tecnologia, a pesagem do gado geralmente ocorre duas vezes ao ano, durante a vacinação de febre aftosa (maio e novembro). Mas nesse espaço de tempo pode acontecer muita coisa!

Por isso, a nova tecnologia ajuda em muito o pecuarista a acompanhar mais de perto das mudanças individuais do seu rebanho.

Seja na evolução de peso de um animal enfermo, seja na implantação de uma nova suplementação, ou mesmo na evolução genética de um cruzamento de raças.

O fato é que o maior ganho está na assertividade no momento da venda. O produtor é capaz de estimar com precisão o valor da venda desses animais através da pesagem com o sistema.

Compartilhe com o pessoal da fazenda e em suas redes sociais!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Posts Relacionados

Saiba tudo sobre o Livro Caixa Digital do Produtor Rural

Pecuária, uma atividade sustentável

4 cuidados com o pasto no período da seca

Por que fazer o pastejo rotacionado?