Descubra todos os segredos por trás da carne halal

Autor: Premix | Data: 20-11-2019

Tags: , ,

Os países da comunidade islâmica atualmente representam uma importante porcentagem nas exportações de carne brasileira.

Sendo assim, esse é um mercado que atrai a atenção de muitos outros países, pois são consumidores que apreciam a boa carne e estão dispostos a pagar pela qualidade e procedência dos cortes bovinos.

Contudo, é um mercado muito exigente quanto à origem e manufatura dos animais destinados ao consumo humano.

CONHEÇA: Os 10 países que mais consomem carnes no mundo

Em outras palavras: ou a carne é produzida conforme a tradição islâmica, ou nada de vender boi para o mundo árabe! A carne destinada ao mercado islâmico, aqui no Brasil, é conhecida como carne halal, ou então abate halal.

E neste texto você vai saber mais sobre ela. Confira na sequência da leitura!

Mas afinal, o que é carne halal?

Halal é uma palavra árabe que significa “legal, permitido”. O Alcorão, livro sagrado da religião islâmica, determina algumas normas e preceitos que devem nortear a produção e manuseio dos alimentos para que eles sejam considerados “halal”, ou seja, permitidos ao consumo do seu povo.

Também há alimentos que, de cara, não são considerados halal, ou seja, não devem ser consumidos. No islamismo, são conhecidos como haram, ou seja: “ilícitos para muçulmanos”.

São exemplos de haram:

  • Carne de porco e seus derivados
  • Animais abatidos de forma imprópria ou mortos antes do abate
  • Animais abatidos em nome de outros que não sejam Alá
  • Sangue e produtos feitos com sangue
  • Álcool e produtos que causem embriaguez ou intoxicação e
  • Produtos que tiveram contato com algum desses citados acima.

Fonte: The Islamic Food and Nutririon Council of América e The Muslim Food Board.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Posts Relacionados

Boi China: como garantir sua fatia nesse mercado

Saiba tudo sobre o Livro Caixa Digital do Produtor Rural

Pecuária, uma atividade sustentável

Como a tecnologia pode trazer mais produtividade na pecuária