Nutrição da matriz: por que descuidar dela é um grande prejuízo

Autor: Premix | Data: 29-04-2019

Tags: , ,

A nutrição materna durante a prenhez desempenha uma função essencial no desenvolvimento fetal e placentário porque afeta diretamente a saúde e a produtividade dos bezerros.

Nos últimos anos, diversas pesquisas têm comprovado que quando o manejo nutricional da matriz é deficiente ele gera uma subnutrição e resulta em complicações na produção animal como:

  • Aumento da mortalidade neonatal
  • Disfunções respiratórias e intestinais
  • Crescimento neonatal retardado
  • Diferenças no diâmetro das fibras musculares
  • Redução da qualidade da carne

O que fazer então para aumentar a eficiência da nutrição nas matrizes bovinas e não levar prejuízo com a boiada? É o que a Premix vai mostrar neste texto!

 Invista na suplementação mineral e proteica na fase gestacional

O aumento no suprimento de aminoácidos possui grandes implicações na programação fetal. Quando a dieta é deficiente em cisteína ou taurina, por exemplo, grande parte da metionina é utilizada para conversão desses dois aminoácidos.

Isso gera uma espécie de “débito”, já que a deficiência desses aminoácidos acarreta efeitos duradouros sobre o desenvolvimento do feto.

SAIBA TAMBÉM: Como construir o cocho para bezerros no creep feeding

Com a subnutrição das fêmeas ainda durante a placentação e estabelecimento do sistema vascular materno-fetal, a transmissão das quantidades necessárias de nutrientes e de oxigênio ficam reduzidas.

A complicação é maior no terço final de gestação, período em que ocorre o maior desenvolvimento do feto porque é justamente nessa janela que tais nutrientes são ainda mais exigidos.

Nutrição da matriz para músculos de peso

Com relação ao desenvolvimento muscular, a nutrição também desempenha um papel muito importante, já que o período fetal é crítico para o desenvolvimento das fibras musculares, afinal não há aumento no número delas após o nascimento da cria.

Vamos a um exemplo?

Um experimento realizado por Greenwood et al. (2007) demonstrou que machos com 30 meses de idade, nativos de fêmeas submetidas à restrição nutricional durante a gestação, tiveram um peso corporal e peso de carcaça inferior quando comparados à machos nascidos de vacas com nutrição adequada, indicando que o crescimento muscular foi prejudicado.

Em outros estudos realizados por Stalker et al. (2006, 2007) e Funston et al. (2008), o peso à desmama foi influenciado pela suplementação proteica das matrizes. A variação foi de 6 kg a 12 kg superior, quando comparada a bezerros oriundos de vacas não suplementadas.

Isso demonstra claramente os efeitos da suplementação sob o peso à desmama.

Nutrição materna para rebanhos mais reprodutivos

Além dos efeitos produtivos, ainda são reportados efeitos reprodutivos. As novilhas vindas de fêmeas submetidas a um suplemento proteico durante o terço final de gestação obtêm uma taxa de prenhez superior quando comparadas às que nasceram de vacas não suplementadas.

Interessante também é que a suplementação proteica das matrizes influencia na puberdade das bezerras: o número de fêmeas que atinge a puberdade é maior em novilhas oriundas de matrizes que recebem a suplementação.

Outros efeitos da correta nutrição

Um experimento realizado por Nepomuceno et al. (2013), no qual vacas foram submetidas à uma suplementação proteica constatou que elas obtiveram um aumento da taxa de retorno à ciclicidade no pós-parto precoce de 24,3%.

Essas matrizes também tiveram aumento na taxa de prenhez de 8,7%, quando comparadas a vacas não suplementadas em um mesmo escore de condição corporal.

Metodologia desses estudos

A maioria dos estudos sobre o impacto da nutrição de matrizes sobre programação fetal foram realizados utilizando a suplementação proteica como ponto-chave para os benefícios da prole.

Porém, em um experimento de Marques et al. 2016, utilizando maiores teores de fontes orgânicas de microelementos (cobalto, cobre, manganês e zinco) em dietas isonitrogenadas (14,4%) na nutrição materna durante a gestação, observou-se um aumento de 11 kg no peso à desmama.

Houve também efeitos na terminação desses bezerros: filhos de vacas suplementadas entraram no confinamento com peso superior (10 kg) e, ao final do confinamento, a diferença se elevou para 14 kg, quando comparados a filhos de vacas suplementadas com menores teores de microelementos.

Mais efeitos negativos da subnutrição nos fetos

Tais estudos também comprovam um fato potencial associado à subnutrição durante a gestação: o aumento exponencial de substâncias oxidativas no corpo da matriz.

Tal subnutrição leva à uma redução de substâncias antioxidantes, que por sua vez desempenham consequências negativas para o feto em curto e longo prazo.

Assim, a suplementação adequada com selênio visa prevenir possíveis efeitos prejudiciais causados pelos radicais livres.

Portanto, é evidente a necessidade de suplementação mineral e proteica durante toda a fase gestacional!

Devemos ter em mente a utilização de produtos que contenham em sua formulação fontes e teores adequados de microelementos e proteína verdadeira para propiciar um aporte maior de nutrientes necessários para o desenvolvimento fetal otimizado, principalmente em situações em que ocorrem restrições na qualidade e quantidade da pastagem, refletindo assim em um aumento na produtividade do sistema de cria.

Por Marcos Vinicius Biehl

médico veterinário, doutor em Ciências e coordenador de Cria da Premix

Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário que nós esclarecemos para você!

Ah, achamos que deste post você também vai gostar: Como promover o crescimento dos bezerros suplementando as vacas.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Posts Relacionados

Boi China: como garantir sua fatia nesse mercado

Descubra todos os segredos por trás da carne halal

Saiba tudo sobre o Livro Caixa Digital do Produtor Rural

Pecuária, uma atividade sustentável